br
pt

Faccin - Calandras

Há mais de 60 anos, a Faccin é a empresa líder na fabricação de calandras, curvadoras de perfil e linhas de produção de tampas e fundos de vasos de pressão. No processo de curvatura de chapa de metal é extremamente importante garantir o controlo dos principais parâmetros de processo como, por exemplo, a posição dos rolos, a pressão e a temperatura do óleo. Por esta razão, a Gefran é o parceiro ideal da Faccin, pois é capaz de oferecer um pacote completo de sensores de posição e temperatura, para satisfazer qualquer necessidade.

O cliente

Faccin é uma empresa criada há 60 anos, líder na conceção e no fabrico de calandras, de curvadoras de perfil e de linhas de produção de tampas e fundos de vasos de pressão.
A sede está situada em Visano (BS) na Itália e é a maior estrutura produtora de calandras do mundo.
A qualidade da Faccin baseia-se na filosofia de manter dentro da empresa todos os conhecimentos tecnológicos e produtivos das máquinas, desde a conceção, os processamentos mecânicos, a automação e a montagem.

O processo

A calandragem é um processo industrial finalizado à curvatura de chapas de metal que são passadas através de rolos específicos, com uma trajetória circular, mantendo um determinado raio de curvatura. Os rolos podem ser três ou quatro, em eixos paralelos, dos quais se controla a posição recíproca. Desta forma podem-se obter curvaturas a frio de tipo cónico ou cilíndrico de chapas ou perfis metálicos. Os dois rolos externos, com posição regulável, enrolam o fundo do material enquanto o cilindro interno, geralmente com posição fixa, pressiona sobre a parte superior do material.
Nas máquinas com três rolos móveis, o rolo superior move-se no sentido vertical, enquanto os dois laterais se movem horizontalmente e de forma independente. Este design especial permite ajustar a distância dos pontos de curvatura de acordo com as necessidades de produção, de acordo com o mesmo princípio utilizado nas prensas com molde variável em V.

 

 

 

 

 

 

 

O problema

Um dos principais requisitos dos fabricantes de calandras é o de obter o controlo ideal da chapa de metal e, assim, reduzir ao mínimo a distância dos pontos de curvatura. Por isso, é essencial verificar o raio de curvatura e o paralelismo dos rolos, controlados através da medição da deslocação dos rolos com uma precisão necessária de 0,05mm.

A solução

A história de caso dedicada às calandras confirma a capacidade da Gefran de apresentar-se como provedor de soluções no mundo das máquinas de processamento de metal. Especificamente, a Gefran forneceu a Faccin um pacote completo de sensores capazes de comunicar ao sistema de controlo o feedback necessário para a gestão dos principais parâmetros da máquina.

Na calandra foram montados vários tipos de sensores para medir a posição, a pressão e a temperatura.

Nomeadamente, os sensores de posição linear, montados no exterior da máquina, são utilizados para controlar a distância e o paralelismo entre os rolos com alta precisão.
A escolha da série PC-M/PZ-34, com tecnologia potenciométrica, e da série MK4/IK4, com tecnologia magnetoestritiva, depende do grau de precisão necessário e dos desempenhos em termos de grau IP.
Especificamente, a série potenciométrica conta com valores de não linearidade na ordem de 0,05%FS. Esses valores passam para 0,01%FS na tecnologia magnetoestritiva.
Do ponto de vista da proteção IP, os magnetoestritivos da série MK4/IK4 fornecem um grau de proteção IP67, enquanto nas séries PC-M/PZ-34 é alcançado o IP65.

Os sensores de pressão medem a pressão hidráulica de toda a máquina, especialmente a pressão de força dos rolos.
Devido às suas características de precisão, robustez e compacidade a série KS, realizada com tecnologia de película grossa sobre aço, oferece um valor acrescentado significativo em termos de segurança funcional. Com efeito, a série KS está disponível com certificação SIL2.

O avanço da chapa é comandado pelo codificador que controla a rotação e o avanço da chapa. Nomeadamente, o codificador da série EG02 serve de sensor de verificação do deslizamento.

Os sensores de temperatura da série AR6M monitorizam a temperatura do óleo contido na unidade hidráulica. Componente com uma fiabilidade comprovada, a série AR6M é uma termorresistência PT100 realizada com tecnologia de óxido mineral (MgO) com sinal de saída amplificado 4-20mA.