br
pt

Bausano - Máquinas de extrusão do plástico

A Bausano é uma empresa líder no sector das máquinas de extrusão do plástico.
Para manter a sua posição no topo do sector e estar pronta para os desafios do futuro, a parceria com uma empresa como a Gefran é um ingrediente importante na receita para o sucesso.

A Bausano é uma empresa líder no sector das máquinas de extrusão do plástico. Para manter a sua posição no topo do sector e estar pronta para os desafios do futuro, a parceria com uma empresa como a Gefran é um ingrediente importante na receita para o sucesso.

As várias décadas de experiência da Gefran no campo do plástico, o alto conteúdo tecnológico, a ampla carteira de produtos dedicados e a sua capacidade de fornecer uma solução completa permitem à Bausano concentrar-se no coração da empresa, ou seja, na concepção e no planeamento estratégico.

Breve perfil do cliente

Bausano & Figli S.p.A. é uma empresa com sede na província de Turim, fundada em 1946. A empresa é especializada na produção de extrusoras de dupla rosca para plásticos.

Em 1982 patenteou um novo sistema de transmissão revolucionário, chamado Multidrive, que consiste na presença de quatro motores por máquina, para reduzir para um quarto o esforço de binário de cada motor.

A Bausano também fornece toda uma gama de máquinas complementares necessárias para a extrusão: o banco de calibração, o de arrefecimento, o puxador e a cortadora.

A oferta completa, o serviço pós-venda e a atenção dedicada à investigação e ao desenvolvimento para gerar valor para o cliente levaram a Bausano até ao topo do seu sector a nível mundial.

Breve descrição do processo

A extrusão é o processo de processamento do plástico que permite obter formas com secção constante, como tubos, placas, perfis, empurrando e prensando o plástico com um sem-fim dentro de um cilindro.

As extrusoras de dupla rosca são uma variante mais complexa, onde os sem-fins compenetrantes podem rodar, como no caso de Bausano, em direções opostas. São ideais para a reciclagem de plástico e são utilizados para produtos médicos, caixilhos para portas e janelas e tubos, tanto de pequenas como de grandes dimensões.

Nas linhas de produção de placas, tubos e de produtos extrudados em geral, nos quais a constância das características de tamanho do material são importantes para a qualidade final (espessura, densidade, etc.) são de especial importância a medição e o controlo da temperatura e da pressão de Melt: índice de fluidez de um polímero derretido.

O problema

A empresa Bausano fabrica máquinas diferentes e linhas de extrusão para a produção de tubos rígidos, tubos flexíveis normais e reforçados, tubos ondulados, perfis para a construção civil ou usos industriais, caixilhos para portas e janelas, granulação, regeneração de desperdícios, folhas e chapas calandradas, linhas de placa de pvc expandido, produtos médicos.

A variabilidade de produção é muita, a empresa de Turim tem por isso a necessidade de garantir uma flexibilidade na automação das máquinas para poder produzir extrusoras para mercados diferentes.

Também o consumo de energia é um parâmetro a ter em consideração numa extrusora, não diretamente para a qualidade do produto, mas pela atenção aos custos e ao meio ambiente.

A solução

Automação

A Gefran propôs à Bausano uma solução de automação da série “Modula Integrated Machine Controller: ou seja um controlo da máquina completo, que inclui as funções lógicas programáveis, a interface gráfica e as I/O em Can Open.

Esta solução HW modular, permite adaptar às necessidades a configuração de número e tipo de entradas e saídas e escolher a interface gráfica de 10” ou 15”, de acordo com as necessidades do cliente, sem ter de alterar ou refazer o projeto.

O software associado é escalável e, além de gerir de maneira completa o processo de extrusão, oferece algumas funções smart, tais como o cálculo do consumo de energia e a gestão eficiente das áreas aquecidas graças a um controlo multiplexer.

Sensores

Para garantir um controlo exato e pontual da pressão de Melt, a Bausano optou por instalar um transdutor Gefran de enchimento da série M3. Este produto é capaz de medir a pressão do meio até temperaturas de 400°C. O princípio de funcionamento baseia-se na transmissão hidráulica da pressão através de um líquido de enchimento com um baixo coeficiente de compressibilidade.

Para ter um mapeamento confiável e completo da temperatura nas zonas estratégicas da instalação, a Bausano decidiu utilizar os termopares Gefran da série TC5, concebidos especificamente para o uso na indústria dos plásticos.

Para medir a força de reação à pressão de extrusão, a Bausano utiliza os transdutores de força da série CC da Gefran, garantindo assim um controlo mais preciso do processo. Estes modelos, aplicados em contacto com os rolamentos axiais, medem uma força cujo valor, adequadamente corrigido, é reduzível ao produto da multiplicação da pressão de extrusão pela área do sem-fim.

Controle de movimento

O controlo de todas as motorizações das linhas de extrusão Bausano é feito utilizando a gama de inversores vetoriais Gefran ADV200.

O grupo dos quatro motores do exclusivo sistema de extrusão de dupla rosca “Multidrive 4 x 2”, que determina a rotação dos sem-fins compenetrantes e contrarrotativos, é movimentado por um único inversor ADV200 que ajusta o sistema em corrente e em velocidade. Consoante o tipo de máquina a potência utilizada pode variar de 18,5kW a 160kW.

O ADV200 com potências de 3kW a 5,5kW também é usado para controlar os motores auxiliares da linha de extrusão, tais como puxadores, cortadoras e doseadores. Estes motores são todos sincronizados em velocidade e rampa graças a funções específicas do inversor. Dessa forma, se for necessária uma alteração da velocidade produtiva, mantêm-se as relações corretas da máquina.

No caso de sistemas de placa que requeiram exigências de sincronização entre a velocidade e a mesa de corte, estão disponíveis softwares específicos desenvolvidos em ambiente IEC61131-3 e totalmente geridos com a ferramenta Gefran MDPLC. Os inversores estão interligados através da rede Modbus RTU, na qual também é gerida a troca de dados com o supervisor para o diagnóstico do sistema.